Número total de visualizações de página

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Dia de São Valentim - 14 de Fevereiro

No século III, em Roma, Valentim, era um sacerdote e o imperador era Cláudio II,o Gótico. O Império enfrentava muitos problemas, com inúmeras batalhas perdidas. O imperador deduziu que a culpa era dos soldados solteiros, que segundo ele, eram os menos destemidos ou ousados nas lutas. E, mais, que depois de se ferirem levemente, pediam dispensa das frentes. Mas, o que era pior, retornavam para o exército, casados e nesta condição queriam voltar vivos, enfraquecendo os exércitos. Por isto, proibiu a celebração dos casamentos.

Valentim, que considerava essa medida injusta, continuou a celebrar os casamentos, mas secretamente. Quando soube das ações do sacerdote, Cláudio mandou que fosse preso e interrogou-o publicamente. Suas respostas foram elogiadas pelo soberano que disse: "Escutem a sábia doutrina deste homem". E, de fato, parece que a pregação de Valentim, o tinha impressionado, pois mandou-o para uma prisão domiciliar, indicando a residência do prefeito romano Asterio, onde todos eram pagãos.
Logo que chegou a essa casa, o sacerdote ficou a saber que o prefeito tinha uma filha cega. Disse aos familiares que iria rezar e pedir para Jesus Cristo pela cura da jovem, o que ocorreu alguns dias depois, acabando por converter toda a família do prefeito. Isto agravou a sua pena, sendo condenado a morte.

Uma antiga lenda acrescenta ainda que após curar a jovem, ele se teria enamorado dela, platonicamente, mas preferiu o seu ministério e que antes de morrer teria escrito uma carta para a jovem, a qual entregou ao seu pai, dizendo "De Seu Valentim" ("Your Valentine"). No dia 14 de fevereiro de 286 foi levado para a chamada via Flaminia, onde foi morto violentamente e depois decapitado.


O mártir Valentim, tornou-se santo porque morreu pelo testemunho do seu sacerdócio. A Igreja considera-o padroeiro dos namorados por ter defendido com a sua vida o Sacramento do Matrimónio
e não pelo motivo acrescentado pela lenda.

Sem comentários: