Número total de visualizações de página

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Dia de São Valentim - 14 de Fevereiro

No século III, em Roma, Valentim, era um sacerdote e o imperador era Cláudio II,o Gótico. O Império enfrentava muitos problemas, com inúmeras batalhas perdidas. O imperador deduziu que a culpa era dos soldados solteiros, que segundo ele, eram os menos destemidos ou ousados nas lutas. E, mais, que depois de se ferirem levemente, pediam dispensa das frentes. Mas, o que era pior, retornavam para o exército, casados e nesta condição queriam voltar vivos, enfraquecendo os exércitos. Por isto, proibiu a celebração dos casamentos.

Valentim, que considerava essa medida injusta, continuou a celebrar os casamentos, mas secretamente. Quando soube das ações do sacerdote, Cláudio mandou que fosse preso e interrogou-o publicamente. Suas respostas foram elogiadas pelo soberano que disse: "Escutem a sábia doutrina deste homem". E, de fato, parece que a pregação de Valentim, o tinha impressionado, pois mandou-o para uma prisão domiciliar, indicando a residência do prefeito romano Asterio, onde todos eram pagãos.
Logo que chegou a essa casa, o sacerdote ficou a saber que o prefeito tinha uma filha cega. Disse aos familiares que iria rezar e pedir para Jesus Cristo pela cura da jovem, o que ocorreu alguns dias depois, acabando por converter toda a família do prefeito. Isto agravou a sua pena, sendo condenado a morte.

Uma antiga lenda acrescenta ainda que após curar a jovem, ele se teria enamorado dela, platonicamente, mas preferiu o seu ministério e que antes de morrer teria escrito uma carta para a jovem, a qual entregou ao seu pai, dizendo "De Seu Valentim" ("Your Valentine"). No dia 14 de fevereiro de 286 foi levado para a chamada via Flaminia, onde foi morto violentamente e depois decapitado.


O mártir Valentim, tornou-se santo porque morreu pelo testemunho do seu sacerdócio. A Igreja considera-o padroeiro dos namorados por ter defendido com a sua vida o Sacramento do Matrimónio
e não pelo motivo acrescentado pela lenda.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

S. João de Brito - 04 de Fevereiro

João nasceu em Lisboa ao 1º de março de 1647, filho de um membro da corte portuguesa que, mais tarde, seria governador do Rio de Janeiro, Salvador de Brito Pereira e da nobre Brites de Portalegre. Apesar de ter saúde débil, desde a infância João alimentou o desejo de se tornar evangelizador. Fez os estudos superiores na famosa Universidade de Coimbra, mas queria completar os estudos teológicos na Índia. Aos vinte e seis anos, ordenou-se sacerdote e entrou para a Companhia de Jesus e, apesar da fragilidade física, rumou para o país onde sonhava pregar o seu apostolado.

Começou a sua atividade missionária em Malabar. Nessa época, conta-se que caminhava descalço enormes distâncias, levando apenas uma manta de algodão e livros religiosos. A sua figura tornou-se emblemática do novo método de evangelização seguido na Índia pelos missionários. Na mão segurava uma cana de bambú, vestia um roupão de cor avermelhada e calçava palmilhas de madeira. Em tudo vivia como um habitante hindu; nas vestimentas, nos costumes alimentares e no comportamento, porém sempre revelando a sua fé e pregando o cristianismo. Mesmo assim, sofreu perseguições, foi preso e torturado, mas não desistiu.

Ocorre que as idéias defendidas por ele iam totalmente contra os princípios da sociedade hindu que, com as suas divisões de castas, tinha verdadeiro horror à pregação de "um só rebanho onde todos são iguais perante o Criador". Mesmo com toda a oposição dos poderosos, João de Brito converteu comunidades inteiras de hindus. Foram 15 anos de um difícil e cansativo apostolado, ao fim dos quais chegou a voltar para Portugal.

 Cá, recebeu o convite para ser conselheiro do rei Pedro II e preceptor de seu filho, mas recusou a oferta e voltou para a Índia onde, pela sua fé, encontraria a morte. Mal pisou em Malabar deparou com um verdadeiro inferno: cristãos tinham sido mortos, as suas casas e igrejas saqueadas e queimadas. Era uma revolta dos sacerdotes hindus, chamados brâmanes, especialmente contra cidadãos cristãos.

João de Brito foi também preso e sumariamente decapitado. Era o dia 04 de fevereiro de 1693. No mesmo local onde conseguiu permissão para orar, antes da execução, o seu corpo foi exposto, depois de ter os membros decepados. O Papa Pio XII proclamou, Santo João de Brito em 1947 marcando a sua festa litúrgica para o dia do seu martírio.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Santos do Mês de Fevereiro

Fevereiro

1 - S. Cecílio; Sta. Brígida; Sta. Veridiana;
2 - Apresentação do Senhor (Apresentação do Menino Jesus no Templo e Purificação de Nossa Senhora);
3 - S. Brás

4 - S. João de Brito;
5 - Sta. Águega (ou Ágata);
6 - S. Paulo Miki e seus Companheiros;
7 - S. Ricardo; Sta. Coleta;
8 - Sta. Josefina Baquita; S. Jerônimo Emiliano;
9 - Sta. Apolónia; S. Miguel Febres Cordero;
10 - Sta. Escolástica;
11 - Nossa Senhora de Lourdes;
12 - Sta. Eulália de Barcelona;

13 - S. Benigno;S. Gregório II;S. Catarina de Ricci;
14 - S. Valentim; S. Cirilo e S. Metódio;
15 - S. Teotónio; S.
Faustino e S. Jovita;
16 - Sta. Juliana; S.Onésio;
17 - S. Lourenço;
18 - Sta. Bernardete Soubirous;
19 - S. Conrado de Placência; S. Bonifá
cio;
20 - Beatos Jacinta e Francisco Marto; Sta. Margarida de Cortona;
21 - S. Pedro Damião;
22 - Cátedra de S. Pedro;Sta. Joana Maria;
23 - S. Policarpo;

24 - S. Sérgio;
25 - S. Sebastião de Aparício; S. Cesário;

26 - S. Nestor e S. Porfírio;

27 - S. Gabriel da Virgem Dolorosa (ou S. Gabriel das Dores);
28 - Beato Daniel Brottier; S. Romão e S. Lupicino;
29 - Sto. Osvaldo;

Domingo da Apresentação do Senhor - 02 de Fevereiro 2014


Celebra-se no dia 2 de fevereiro de 2014 a festa da Apresentação de Jesus no Templo.
Quarenta dias após o nascimento de Jesus, em obediência à lei de Moisés (Ex. 13, 11-13), Maria leva o Menino ao templo, a fim de ser oferecido ao Senhor.
Em algumas paróquias por todo o país, tem crescido nos últimos anos o hábito de se fazer uma celebração de bênção dos bebés, nascidos durante o ano anterior.